Mapeamento da Educação Superior: Minas Gerais

Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Geografia - Tratamento da Informação Espacial

Ingressos em Cursos de Graduação

Fonte: INEP, 2012

A distribuição do número de ingressos nos cursos de graduação é bem semelhante à distribuição do número de matrículas. Há, entre as duas, um fator de correlação de 0,9958. Em 2010, 203.792 novos alunos ingressaram em um curso superior. Desses, 64.938 (31,9%) ingressaram em um curso na capital e 145.493 (71,4%) se vincularam a um curso em um dos 29 municípios com mais de 100.000 habitantes.

Fonte: INEP, 2012

No Censo da Educação Superior 2010, foram registrados ingressos em cursos presenciais de 134 municípios do estado, somando 168.990 alunos. Esse número representa 82,9% do total de ingressos em cursos de graduação, indicando que ainda havia um procura muito maior por cursos presenciais de graduação do que em cursos a distância de graduação. No entanto, é importante considerar que a oferta de cursos a distância não só era significativamente inferior à oferta de cursos presenciais, como também bastante limitada em variedade de cursos.

Em 2010, 57.134 alunos ingressaram em cursos presenciais na capital, representando 33,8% do total de ingressos, e 123.943 alunos ingressaram em cursos presenciais de uma das 29 cidades com mais de 100.000 habitantes, representando 73,3% do total.

Fonte: INEP, 2012

Apesar de serem em menor quantidade, a distribuição dos ingressos em cursos a distância pelos municípios de Minas Gerais é muito mais equilibrada que a distribuição dos ingressos em cursos presenciais. Em 2010, foram 34.802 ingressos em cursos a distância distribuídos por 151 municípios.

Do total de ingressos em cursos a distância de graduação, 7.804 (22,4%) foram em cursos na capital e 21.550 (61,9%) foram em cursos das 29 cidades com mais de 100.000 habitantes.

Fonte: INEP, 2012

Em 2010, 137.172 alunos ingressaram em cursos de bacharelado, representando 67,3% do total. Desses, 125.950 (91,8%) ingressaram em bacharelados presenciais e 11.222 (8,2%) ingressaram em bacharelados a distância.

Somente na capital, foram registrados 43.435 ingressos em bacharelados, ou seja, 31,7% do total de ingressos do estado. Na soma dos municípios com mais de 100.000 habitantes, foram registrados 99.515 ingresso, ou seja, 48,8% do total.

Fonte: INEP, 2012

A procura pelas licenciaturas foi, em 2010, significativamente inferior à procura pelos bacharelados. Foram registrados 35.856 ingressos em cursos de licenciatura, representando 17,6% do total de ingressos. Desses, 22.211 (61,9%) ingressaram em licenciaturas presenciais e 13.645 (38,1%) ingressaram em licenciaturas a distância. Como se pode observar, a procura por licenciaturas a distância entre as licenciaturas é percentualmente mais alta que a procura por bacharelados a distância entre os bacharelados.

Dos ingressos totais em licenciaturas, 8.023, representando 22,4% do total, iniciaram cursos na capital e 21.321, representando 59,5% do total, iniciaram cursos em uma das cidades com mais de 100.000 habitantes.

Fonte: INEP, 2012

Os cursos superiores de tecnologia receberam 30.220 novos alunos em 2010, representando 14,8% do total de ingressos. Desses 13.089 (43,3%) ingressaram em cursos na capital e 24.266 (80,3%) ingressaram em um curso de uma das cidades com mais de 100.000 habitantes, evidenciando a concentração dos ingressos em grandes cidades.

Do total de ingressos em cursos superiores de tecnologia, 20.285 (67,1%) ingressaram em cursos presenciais e 9.935 (32,9%) ingressam em cursos a distância.

Referências:

INEP. Microdados Censo da Educação Superior. INEP, 2012. Disponível em: <ftp://ftp.inep.gov.br/microdados/micro_censo_edu_superior2010.zip>. Acesso em: 03 ago. 2012.

Elaboração: Prof. Marcos André Silveira Kutova
Orientação: Prof. Dr. João Francisco de Abreu
Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Geografia - Tratamento da Informação Espacial
Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

© PUC Minas, 2013. Todos os direitos reservados, de acordo com o art. 184 do Código Penal e com a lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. Proibidas a reprodução, a distribuição, a difusão, a execução pública, a locação e quaisquer outras modalidades de utilização sem a devida autorização da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.